Convocatória para Assembleia Geral Electiva da associação GAIA

Convocatória

Ao abrigo dos art. 15º e 16º dos nossos estatutos, convocam-se todos os sócios da associação GAIA – Grupo de Acção e Intervenção Ambiental para uma Assembleia Geral Electiva a realizar no dia 8 de Dezembro de 2017, pelas 11 horas, no espaço de trabalho do núcleo do Alentejo “Oficina São Luís”, sito nas instalações anexas à Junta de Freguesia de São Luís, na localidade de São Luís, com a seguinte ordem de trabalhos:

  • Ponto 1 – Apresentação e votação do Relatório de Contas de 2016
  • Ponto 2 – Apresentação e votação do Relatório de Actividades de 2017 dos núcleos Lisboa e Alentejo
  • Ponto 3 – Apresentação e votação do Plano de Actividades para 2018
  • Ponto 4 – Eleição dos membros dos órgãos sociais
  • Ponto 5 – Deliberação e votação de uma alteração nos estatutos: Artigo 10º ponto 6 passará a ter nova redacção, a saber “A duração do mandato do Conselho Executivo é de 2 anos.”
  • Ponto 6 – Outros assuntos

Não estando presente à hora marcada o número mínimo de sócios para iniciar a deliberação, a Assembleia Geral reunirá meia hora depois, em segunda convocatória, com os sócios presentes.

Lisboa, 30 de Novembro de 2017

A Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Rita Queiroga Bento

Esta Sexta, dia 1 de Dezembro: jantar popular no GAIA e conversa sobre activismo climático na Ucrânia

O activismo climático na Ucrânia é algo muito curioso. Queres saber o que os activistas portugueses e ucranianos têm em comum? Quais são os desafios na luta pelo clima e quais são as respostas dos activistas? Ou se calhar queres simplesmente experimentar comida tradicional ucraniana? Então, junta-te a nós no dia 1 de dezembro para um Jantar Popular no GAIA (Rua da Regueira 40, Alfama).

Vamos ter a Olga, activista da CAN EECCA, Ecodiya (Ecoação), UMKA (Ucranian Youth Climate Association) e várias outras organizações, para contar o que se passa na Ucrânia. O evento será informal, vamos conversar, cozinhar, ver algumas fotos e passar tempo em boa companhia. ☺

Quem quiser ajudar, venha às 18 horas, jantamos às 20 horas e a conversa é a seguir!

O que é o Jantar Popular?
– Um Jantar comunitário vegano, biológico e LIVRE DE OGMs que se realiza no GAIA, Rua da Regueira, n 40, em Alfama.
– Uma iniciativa inteiramente auto-gerida por voluntários.
– Um jantar em que podes colaborar e aprender a cozinhar vegano! Para cozinhar e montar a sala basta aparecer a partir das 18h. Jantar “servido” a partir das 20h.
– Um projecto autónomo e auto-sustentável. As receitas do Jantar Popular representam o fundo de maneio do GAIA que mantém assim a sua autonomia.
– Um jantar onde ninguém fica sem comer por não ter moedas e onde quem ajuda não paga. O preço nunca é mais de 3 pirolitos.
– Um exemplo de consumo responsável, com ingredientes que respeitam o ambiente, a economia local e os animais.
– Uma oportunidade para criar redes, trocar conhecimentos e pensar criticamente.

Acção de solidariedade contra os despejos: Não à expulsão do Sôr António!

atenção ACÇÃO!!! Marquem nas vossas agendas! Não tirem o Sôr António de Alfama onde sempre morou!

O Sr. António Melo está para ser despejado desde Maio de 2017. Com 71 anos, e com graves problemas cardíacos, vê-se hoje sem contrato renovado, com ordem de despejo e sem qualquer alternativa na zona onde sempre viveu, nem no resto de Lisboa ou mesmo além dela. São rendas muito caras e portas que se fecham a fazer contrato, perante a sua idade. O prédio onde o Sr. António vive entrou em obras profundas sem qualquer autorização. Foi nesta altura que o Sr. António começou a sofrer acções de intimidação e assédio constante por parte do proprietário para o obrigar a sair, destruindo partes da sua casa e tornando a sua vida impossível lá dentro. Foi apresentada queixa à CML. No entanto, e já sabendo desta situação e que as obras tinham começado de forma ilegal, a CML deu autorização para obras ao proprietário e sugeriu ao Sr. António que concorresse aos concursos ou que fosse morar para a periferia.

O Sr. António é de Alfama e sempre ali viveu, é lá que tem os seus amigos, as suas rotinas, a sua médica e toda a sua vida. É lá que se sente bem. Tentou os concursos da CML várias vezes. Gastou muito dinheiro em documentos para no fim centenas de pessoas ficarem à sua frente no sorteio.

O Sr. António inscreveu-se para falar na reunião pública da Câmara Municipal no próximo dia 29 mas a assessora presente disse-lhe que ele não poderia falar pois o assunto era já sobejamente conhecido e que não valia a pena insistir. Isto é inaceitável: os técnicos ou os assessores políticos não podem inibir de falar às pessoas que se querem inscrever na reunião pública.

A Câmara tem cerca de uma centena de casas vazias na freguesia de Santa Maria Maior, e uma destas casas deveria ser para o Sr. António que está em risco de despejo e não tem qualquer alternativa.

Por tudo isto, queremos apoiar o Sr. António a ir à reunião pública da Câmara na Quarta-feira, dia 29 de Novembro. Juntem-se a nós na Praça do Município às 17h30 para instar que o deixem falar e exigir uma SOLUÇÃO PARA O SÔR ANTÓNIO!!

Partilha! Sr. António está com ordem despejo depois do seu contrato acabar em Maio de 2017. A lei não está do seu lado, apesar de não encontrar alternativa onde viver, apesar de ter 72 anos, apesar de toda a sua vida viver em Alfama e ser lá que lhe restam amizades, rotinas e apoio – fundamentais neste momento da sua vida. Sofre agora o que se pode chamar de Bullying imobiliário: formas de pressão inaceitáveis para o pressionar a sair como inundações na casa, ou obras profundas sob o seu teto que lhe tornam a vida impossível. O Sr. António já pediu apoio à câmara, mas não conseguiu nada até agora. A CML deveria usar as casas que tem no património disperso para realojar quem está a ser expulso. Peçam SOLUÇÕES adequadas para o Sr. António Melo: gab.presidente@cm-lisboa.pt e a todos os partidos que elegeram vereadores!

Posted by Habita on Montag, 16. Oktober 2017

Apresentação da lista candidata aos órgãos sociais para o mandato 2017-2019

Os representantes da Mesa da Assembleia Geral, na sua qualidade de Comissão Eleitoral, informam que receberam uma única lista candidata às eleições para os órgãos sociais, para o mandato  que inicia no dia vinte e dois de Dezembro de dois mil e dezassete e termina no dia vinte e dois de Dezembro de dois mil e dezanove, inclusive.

Apresenta-se a lista única, a saber:

Conselho Executivo:

Presidente: Lanca Elvira Horstink

Vice-Presidente: Sara Rodrigues da Costa Serrão

Tesoureira: Mara Carolina Carvalho Sé

1º Secretário: Ana Rita Magalhães

2º Secretário: André Simão Studer Ferreira

Conselho Fiscal:

Presidente: Clément Fraisse

1º Secretário: Mehmet Ali Uzelgun

2º Secretário: Rita Queiroga Bento

Mesa da Assembleia Geral:

Presidente: Maria Leonor Valfigueira Coimbra

1º Secretário: Sinan Eden

2º Secretário:  Idalina Maria Fernandes de Jesus

 

Lisboa, 24 de Novembro de 2017

Em representação da Comissão Eleitoral,

A Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Rita Queiroga Bento

Convite aos associados do GAIA para apresentar listas candidatas à eleição dos órgãos sociais

Em cumprimento com o Artigo nº 10 do estatutos, a Mesa da Assembleia Geral do GAIA – Grupo de Acção e Interacção Ambiental, na sua qualidade de Comissão Eleitoral, convida a todos os associados interessados a apresentarem listas candidatas às eleições para os órgãos sociais, que terão lugar no dia oito de Dezembro de dois mil e dezassete.

Os órgãos sociais serão eleitos para o novo mandato de dois anos que inicia no dia vinte e dois de Dezembro de dois mil e dezassete e termina no dia vinte e dois de Dezembro de dois mil e dezanove, inclusive.

Das listas candidatas devem constar cinco nomes para o Conselho Executivo, três nomes para a Mesa da Assembleia Geral e três nomes para o Conselho Fiscal.

As listas candidatas devem ser entregues à Presidente da Mesa da Assembleia Geral até às onze horas do dia vinte e quatro de Novembro, utilizando para este efeito o email geral do GAIA, gaia@gaia.org.pt

Lisboa, 17 de Novembro de 2017

A Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Rita Queiroga Bento

Jantar Popular GAIA 24 Novembro: Não queremos ser despejados do nosso bairro!

Aparece em mais um Jantar Popular do GAIA, desta feita para fazer um ponto de situação dos despejos e das formas de luta para inverter a expulsão dos residentes dos seus bairros!

Jantamos pelas 20 horas (quem quiser vir ajudar, apareça às 18h) e às 21 horas queremos mostrar o documentário curto sobre o que se passou na Rua dos Lagares, seguido de debate com moradores que estão ou estiveram em risco de despejo, apoiantes e representantes das associações e movimentos que se têm empenhado no direito à habitação social- e economicamente adequada, como Habita e APPA.

O que é o Jantar Popular?
– Um Jantar comunitário vegano, biológico e LIVRE DE OGMs que se realiza no GAIA, Rua da Regueira, n 40, em Alfama.
– Uma iniciativa inteiramente auto-gerida por voluntários.
– Um jantar em que podes colaborar e aprender a cozinhar vegano! Para cozinhar e montar a sala basta aparecer a partir das 18h. Jantar “servido” a partir das 20h.
– Um projecto autónomo e auto-sustentável. As receitas do Jantar Popular representam o fundo de maneio do GAIA que mantém assim a sua autonomia.
– Um jantar onde ninguém fica sem comer por não ter moedas e onde quem ajuda não paga. O preço nunca é mais de 3 pirolitos.
– Um exemplo de consumo responsável, com ingredientes que respeitam o ambiente, a economia local e os animais.
– Uma oportunidade para criar redes, trocar conhecimentos e pensar criticamente.

Apelo GAIA VIVA! Grão a grão, sustenta-se uma associação :-))

O GAIA lança apelo a antig@s e nov@s associad@s: ajudam-nos a manter esta associação VIVA?

Como colectivo independente, uma ave rara no meio ecologista que aposta na crítica social, no Faz-Tu-Mesmo e na economia solidária, o GAIA tem opções limitadas de financiamento. Neste momento, e apesar de sermos muito poupadinh@s, o nosso papo está a ficar sem grãos! Apelamos por isso a antig@s e nov@s associad@s para que agarrem o GAIA para a manter VIVA!

Como associad@:

  • apoias um colectivo auto-organizado crítico e activista, para que este possa manter a sua independência*.
  • passas a receber e poder difundir (boas e más) notícias sobre ecologia e as diferentes causas e lutas em que nos empenhamos como associação.
  • ajudas a organizar e/ou participas nas actividades do GAIA Lisboa, do GAIA Alentejo, ou ainda em eventos e iniciativas a nível nacional. As nossas actividades regulares são os Jantares Populares com temas políticos, as Cicloficinas, a Loja Grátis e a nossa Sementeca. Além disso dinamizamos eventos (conferências, oficinas, tertúlias, bancas, acções) para as campanhas e plataformas de que fazemos parte e fazemos eventos conjuntos com outros colectivos.

O que é o GAIA?

O GAIA—Grupo de Acção e Intervenção Ambiental é uma associação ecologista, inovadora, plural, apartidária e não hierárquica, que tem núcleos em Lisboa e no Alentejo. Para além de colaborar frequentemente com outras associações portuguesas, faz parte de várias redes nacionais, europeias e globais, entre elas a Plataforma Transgénicos Fora, o Climáximo, a Plataforma Salvar o Tua, a Campanha Sementes Livres, a Plataforma Não ao Tratado Transatlântico, a Plataforma No Patents On Seeds, a Campanha das Autarquias Livres de Petróleo e Gás e a Campanha Empregos para o Clima.

O GAIA é uma associação do ambiente com uma forte componente activista, que combina a co-aprendizagem Faz-Tu-Mesmo com acções directas, criativas e não-violentas e promove o trabalho a partir das bases.

Para conheceres melhor o GAIA, os seus princípios, propostas e actividades, explora este portal ou contacta-nos.

O que se passa?

O GAIA não aceita financiamento de corporações, bancos ou partidos nem de fundações ligadas a corporações. O acesso a fundos europeus tem estado seriamente comprometido desde há dois anos com as novas regras. A associação vive por isso principalmente do apoio de indivídu@s: dos pequenos rendimentos dos seus conhecidos Jantares Populares e de alguns contributos nas suas iniciativas Recicleta, Loja Grátis ou Sementeca. Mas as tarefas para manter esta associação VIVA frequentemente superam as mãos disponíveis e os nossos gastos mensais, apesar de mínimos (rondam os 200 oiros em Lisboa), começaram a ultrapassar as receitas.

Precisamos de voltar a agitar a galinha e encher o papo, e pode ser grão a grão!

Como podes tornar-te associad@ ou renovar a tua ligação ao GAIA?

  • pessoalmente, visitando-nos no GAIA Lisboa ou no GAIA Alentejo, num evento ou numa das assembleias quinzenais.
  • apoiando-nos com o teu donativo ou quota anual, presencialmente ou por transferência para o NIB 0035 0298 0000 6902130 27 (deixa-nos teu nome, contribuinte e localidade, p.f.). Donativos regulares inferiores a 5 oiros ou donativos não monetários são igualmente muito bem vindos.**

* Nem o valor nem a natureza da quota estão fixos, tu decides qual o contributo que queres dar e de que forma (tempo, materiais úteis, saberes e fazeres, e/ou um donativo monetário).

** Para valores inferiores a 5 oiros, agradecemos apenas que o faças presencialmente, por causa das despesas burocráticas associadas!

AGRADECEMOS O QUE VEM POR BEM!