Campanha pelas Sementes Livres

COMUNICADO

Carxs apoiantes da Campanha pelas Sementes Livres

Na semana de 15 de Fevereiro, o site do GAIA, onde está alojado o site da Campanha pelas Sementes Livres, foi alvo de um ataque gratuito que destruiu grande parte do site, tendo eliminado entre outros todos os arquivos da Campanha desde a sua criação em 2011.

Em vez de desesperarmos, estamos a abraçar esta oportunidade para criar um novo site, com novas funcionalidades que respondam melhor aos tempos que vivemos agora, que celebramos cinco anos de luta para manter as sementes livres!

Conseguimos recuperar os arquivos da Campanha, mas não será possível reactivá-los neste site, devido ao trabalho que isso implicaria, por isso pedimo-vos paciência até termos o novo site a rolar!
No entanto, qualquer coisa que precisem, informação sobre a Campanha, sobre suas actividades, sobre a Lei das Sementes ou Tratados Internacionais e a luta contra patentes sobre a vida, ou ainda os nossos materiais de comunicação ou historial de imprensa, contactem-nos em sementeslivres [at] gaia [dot] org [dot] pt

Podem também consultar o arquivo web, onde a maior parte dos conteúdos ainda se encontram.

Até já, com as nossas saudações sementeiras

Grupo coordenador da Campanha pelas Sementes Livres
as associações GAIA, Círculos de Sementes e Projecto270

 

QUEM SOMOS?

A Campanha pelas Sementes Livres é uma iniciativa europeia que nasceu em 2011 com núcleos na maioria dos Estados-Membros da União Europeia. Em Portugal a campanha é dinamizada pelo Campo Aberto, GAIA, Movimento Pró-Informação para Cidadania e Ambiente, Plataforma Transgénicos Fora, Projecto270, Quercus e Wakeseed/Círculos de Sementes, para além de contar já com perto de cem subscritores e milhares de apoiantes individuais.

A nível internacional, a rede por detrás da Campanha está em contacto com muitas outras redes e organizações, entre elas a Aliança Global pela Liberdade da Semente (www.seedfreedom.info) que defendem a livre reprodução de sementes e o direito dos agricultores e horticultores ao acesso aos recursos naturais comuns.

A luta é local, nacional, internacional e global, porque os ataques ao direito à comida e aos recursos para a comida, acontecem a todos estes níveis.

Unindo cidadãos preocupados, agricultores, criadores independentes e organizações e associações sem fins lucrativos por toda a Europa, esta campanha visa inverter o rumo da agricultura na Europa e no mundo, onde constatamos que os modos de produção intensivos se sobrepõem cada vez mais à agricultura tradicional e de pequena escala e onde as variedades agrícolas e as próprias sementes, a base da vida, estão a ser retiradas da esfera comum e entregues nas mãos de multinacionais do agro-negócio.

A expressão mais recente desta tendência é a legislação que foi gradualmente aprovada pela anterior Comissão Europeia, para restringir a livre reprodução e circulação de sementes, facilitar o patenteamento de variedades de plantas agrícolas anteriormente pertencendo ao bem comum e ilegalizar as variedades em circulação que não estão registadas. Em 2014, celebrámos uma vitória, quando a proposta 'Lei Europeia das Sementes' unificada foi chumbada pelo Parlamento Europeu após anos de discussão e protesto. No entanto, as Directivas Europeias que estavam a preparar o caminho para a Lei unificada, ainda não foram derrotadas e estão a dar azo, em vários países europeus, a que se obrigue os agricultores e guardiões de sementes a registar todas as variedades tradicionais que pretendam usar, encetando burocracias e custos incomportáveis. As sementes tradicionais e locais ainda representam perto de 80% das sementes usadas no mundo, e não se adaptam à regulamentação complexa e pesada para sementes industriais proprietárias. Ao atropelar o direito do agricultor a guardar a sua semente, a indústria agro-química e os governos e instituições supranacionais que a apoiam visam retirar o papel de curador da semente ao agricultor, papel esse que desempenhou, com proveito para toda a humanidade, desde o nascimento da agricultura e da civilização há 10.000 anos!

Em anexo a esta página, encontrarão o relatório das actividades da Campanha nos últimos 2 anos.

16 de Março no GAIA: Estreia da primeira curta documental do SEED ACT

Jantar Popular + Estreia do Acto I do SEED ACT + conversa com a realizadora

16 de Março pelas 18 horas para quem quer ajudar a cozinhar e preparar o espaço e pelas 20 horas para quem quer sentar-se à mesa!

estreia seed act

anexoTamanho
Relatorio2014_2015_CampSemntsF.pdf4.03 MB
Conteúdo sindicado